Família Soprano (The Sopranos) Primeira Temporada, Episódio Piloto






TONY SOPRANO

Que venha o PROZAC!


Final de ano é sempre essa correria doida, falta tempo para tudo, mas a gente sempre dá um jeito de improvisar. Aproveitando que estou repostando coisas do antigo cinedramaturgia, por enquanto, vou postar aqui uma postagem que fiz quando vi o primeiro episódio de The Sopranos. Embora esta postagem já esteja distante no tempo, acho que ela é legal por apontar três coisas que gostei muito do piloto. Não é uma análise completa, só pra chamar atenção para três detalhes que gostei muito.


Sinopse

Tony Soprano procura uma psiquiatra depois de desmaiar na festa de aniversário do filho. Relutante para falar no começo, logo ele se solta e começa a falar sobre seu dia a dia estressante, sobre seu trabalho como "administrador de lixo", e sobre ser o chefe da máfia local. Das disputas internas de poder, dos rivais e da violência de seu trabalho, dos problemas familiares tão comuns, seus esforços em ser um homem bom e honesto e sobre a tristeza em ter visto os patinhos crescidos no seu quintal e na sua piscina aprenderem a voar e irem embora.



Direção: David Chase



Roteiro: David Chase



Elenco: Tony Soprano (James Gandolfini), Dr Jennifer Melfi (Lorraine Bracco), Carmela Soprano (Edie Falco), Junior Soprano (Dominic Chianese), entre outros.



Excepcional. Fui assistir por causa de uma recomendação do Robert Mckee no distante ano de 2011, que chegava a comparar Tony Soprano com Hamlet. De fato, a profundidade do personagem de Tony Soprano é abissal.


Gostaria de chamar a atenção para três aspectos do roteiro,(apenas três,infelizmente).


O primeiro é a questão dos patos. É muito bom este plot, incrivelmente belo e humano, impressionante. Se gostou, procure ler uma peça de Henrik Ibsen, sem sombre de dúvidas, trata-se de uma citação.


Outra é a cena da boate, o uso da música, enquadramentos, sombras e luzes é muito boa e a mise-em-scéne é ótima.


Por fim, a cena da execução do tcheco sob os olhares de Hawks, Cary Grant, Edward G. Robinson e um monte de cabeças decepadas de porcos é uma preciosidade, pra quem não sabe, Hawks dirigiu o primeira Scarface e Edward G. Robinson era ator constante e excelente em diversos filmes de máfia e crime. .


Por fim, para quem se interessar e quiser dar uma olhada no roteiro, clique AQUI!




7 visualizações
Posts Em Destaque